segunda-feira, 16 de maio de 2011

O cavalheirismo do cafajeste; a canalhice do homem sincero

  Você já parou pra pensar que o cafajeste, é o verdadeiro cavalheiro? E aquele cara sincero que sempre te diz toda a verdade é um canalha? Provavelmente essa troca de valores não é proposital, mas na prática é mais ou menos isso o que acontece mesmo. Explico: o cafajeste mente o quanto achar necessário para manter a aparência que quiser ou alcançar seus objetivos. Nesse processo, relacionando-se com mulheres, faz com que cada uma se sinta especial, única, independente de quantas mulheres tenha. A mulher sofre, fica insegura, porque sabe que o cara é cafajeste. Lá no fundo sabe. Mas ao mesmo tempo acredita que deve ser paranóia, porque ele é super atencioso, e a faz sentir tão bem, que ele não teria coragem de brincar com os sentimentos alheios. Mesmo quando ele deixa transparecer que não tem um relacionamento sério, e que há outras mulheres em sua vida, ele diz o que cada uma quer e precisa ouvir para que sinta que com ela vai ser diferente.
  O homem sincero? No máximo omite, e se você lhe perguntar se ele omite algo, te responderá que sim. Caso tenha outras mulheres, não esconderá. Deixará claro o que quer ou não de você. Se você for especial, ele dirá que você é. Se você for alguém que ele gosta, mas não quer um relacionamento com mais comprometimento, te dirá também. E qual o problema? A mulher se relaciona com ele se quiser, não é? Ninguém a obriga a ficar com alguém. O problema é quando esse homem sincero é um cara legal, gente boa, é alguém com quem você quer se relacionar, ou acaba se tornando esse alguém.
  O cafajeste, no seu egoísmo, de ter o que quer, acaba por ser cuidadoso com as outras pessoas. Sua falsidade preserva as mulheres, numa proteção construída com mentiras e ilusões, mas ainda assim, proteção. Parece horrível, e é. Mas quando se descobre as mentiras do cafajeste, a culpa é toda dele. A mulher é a vítima, enganada, usada, e tem todo o direito de mostrar a esse homem, o desprezo que tem por essa pessoa sem escrúpulos que ele é. E esse homem, culpado dessas mentiras, pode até continuar tentando mentir mais e mais, mas será sempre o vilão, e a mulher levada pelas mentiras (ou que se deixa levar), será sempre a vítima.
  A sinceridade é uma virtude. Mas uma virtude cruel. Ela retira o peso da responsabilidade. O homem que usa da sinceridade, deixa com a mulher a decisão de continuar ou não, seja no tipo de relacionamento que for. Se ela decide, a culpa pelas consequências é dela, risco conhecido e assumido. Percebe a canalhice? A mulher não pode acusá-lo de mentir, enganar. Ela não é vítima. É conivente. Deu certo? Que bom pra você :). Não deu? Paciência :/. A sinceridade, na tentativa de precaver o próximo, protege na verdade esse homem sincero.
  O cavalheiro protege a mulher, a deixa confortável, auxilia, assume riscos para protegê-la. E isso é o que o cafajestismo faz. A sinceridade é cruel. Eu? Pensando em tudo o que escrevi, não sou cavalheiro não. Tento ser o melhor possível. E é isso.

4 comentários:

  1. ah, pessoas! vocês podem comentar em qualquer post. nem que seja pra falar mal. e até pode ser anonimamente rs

    ResponderExcluir
  2. um amigo me disse sobre esse texto: "axoq vc escreveu sobre sua relação coma s mulheres, hahaa
    em espcial as q se sentem enganadas, mas nao foram, hahaha"

    ResponderExcluir
  3. Ah assim, depois que vc deu um pé nelas, tudo ficou BEM claro e explicado, rs
    hahahahahhaaahahaaa =)

    ResponderExcluir
  4. realmente... ficou engraçado rs mas nao eh bem vdd isso rs

    ResponderExcluir